domingo, 18 de julho de 2010

Não me fale em arrependimento! Se me disser que você se arrependeu eu bato em você até quebrar os seus ossos frágeis, te jogo de cima do mundo, quebro as louças, a bicicleta, rasgo os papéis, destruo o computador, risco todas as palavras, queimo as suas roupas e a minha pele (pois um dia desejei que fossem a mesma coisa), eu grito tudo que tenho guardado debaixo do diafragma, eu cuspo na sua cara e choro na sua frente (...)

Um comentário:

Gabriela disse...

Nooooossa, adorei esse!! Vc escreve mto bem Juu, parabéns! Mto bom seu blog! =)