sábado, 20 de outubro de 2007

Macarrão na Sopa

O vento bate forte na janela
que, arrepiada, ressona.
Meu medo é de que esse vento leve
junto com as folhas de poesia,
meus sentimentos por você.

Esse medo, como claustrofobia,
Me toma por inteiro,
me prende no palpitar do meu coração.
Não sei se é bom ou mal,
isso que eu acho que sinto,
mas é o que eu tenho de mais forte pra me agarrar.
E é em você que eu penso
quando as luzes se apagam e eu tenho medo do escuro.
E só de pensar em ti já me sinto protegida.
E é em você que eu penso
quando há apenas solidão.
E, meu bem,
só de lembrar de você já não me sinto tão sozinha assim.

E se me vir parada,
olhando pro nada,
é que eu estou pensando em nossas diferenças,
e como elas nos deixam tão parecidos.
É que eu estou pensando nas nossas contradições,
e além de tudo,
pensando em quando vou te ver de novo.
É pensando em ti.
Somente em ti, amor.
O vento bate forte na janela.
Já não escuto a janela, insípida.
Já não sinto medo,
e rasgo as poesias.
Mas o que eu sinto por você,
o que eu sinto por você fica.

Um comentário:

Thai :* disse...

se seus poemas tiverem um fundo de verdade, eu sinto que nós estamos passando pelo mesmo tipo de problema sentimental, tsc. SHAUSHAUHSUAH