sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Atemporal

Ao temporal:
que tuas gotas sejam a minha saliva
que crêem na vida, como no mundo
pois o tempo não me rege,
nem eu rejo o tempo,
somos pequenas aliterações, metáforas
e apenas convivemos.
A tempo:
não se atrase, meu amor
pois a chuva que está para cair
alagará as ruas, me alagará os olhos
não se atrase, por favor,
que eu passei a vida a lhe esperar...

2 comentários: