domingo, 24 de maio de 2009

E se eu procurasse entre essas duas telas uma fresta na qual você está me esperando? Te encontraria?



Se eu, de repente, percebesse que nem sempre os olhos resolvem tudo, nem sempre a boca abre para falar o que se pensa, o toque não significa necessariamente carinho, o que da vida poderia-se concluir?
Que o pensamento é um. Que a resposta às vezes trai. Que a solidão dá medo. Que o sorriso pode ser triste. Que mãos dadas não são sempre amor, podem ser apenas um lugar onde se possa escorar. Ser triste é diferente de estar infeliz. Amar é diferente de estar feliz.
Nem sempre os olhos resolvem tudo.

2 comentários:

Meire disse...

Amar é diferente de estar feliz.
E eu achava que só precisava amar...

Gu disse...

sei que já deve ter virado clichê meu cometário de que tô sem palavras... mas agora eu fiquei mesmo!

hahah, esse vai pro meu orkut =)