quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

(...)

Foi muito bonito. Talvez eu nunca me esqueça, o momento silencioso em que a minha mão, como por acaso, encontrou na tua. Foi como um choque. Triste é quando o cupim perde as asas e fica vagando pela vida, como quem já perdeu a viagem. Mas você nem sempre me disse 'eu também' com o meu brilho nos olhos, eu talvez jamais me esqueça do pé na porta e do momento de silêncio que existe depois do fim. Foi como um choque. Talvez quando o cupim perde a asa, talvez ele também perca um pedaço da alma e mais nada faça sentido.

5 comentários:

AnaPaula! disse...

junhoz, você é uma pessoa que brilha e sabe colocar as palavras de uma maneira que a gente te sinta cada vez mais próxima e mais verdadeira. O nosso íntimo nem sempre é o mais bonito, mas as palavras sempre nos ajudam a entendê-lo mais e a fazer dele o melhor de nós. Boa sorte :D você é linda! beijinho da Naninha!

Mirella B. C. disse...

Faço das minhas palavras as mesmas da Ana Paula. Lindo, como sempre!

Victória Resende disse...

Ah, muito bom mesmo. *-*

Deixo um mimo pro teu blog, oh. Segue link:
http://victoriacresende.blogspot.com/p/selos.html

Any disse...

tem um selo pra ti no meu blog
;D

http://saber-sonhar.blogspot.com/2010/12/ganhei-da-karine-do-meu-mundo-tenho-que.html

Lady Salieri disse...

=)