quarta-feira, 10 de novembro de 2010

De costas

- O que são esses olhos vermelhos?
- Estive chorando.
- Por quê?
- Porque o mundo me está doendo.
- Fala sério? Oras, não me diga algo assim! És humana, respeita tua superioridade natural!
- Sou humana mas também sou bicho, respeite minha natureza instintiva!
- Não é bicho, és racional.
- Tenho consciência, mas é da minha consciência que sai o sofrimento. Sendo assim, quase seria melhor ser só bicho.
- Um bicho? Escravizado pelas percepções banais, acossado pelos barulhos do mundo, sempre curvado pelo próprio medo? Só um mero bicho?
- Então assim eu sou! Sinto-me a corsa acuada pelo medo, pelo barulho de passos se aproximando, e quando o mundo dói eu fujo e me escondo no fundo da floresta para chorar e esperar que passe.
- Não és bicho, és humana. Mas és fraca.


És fraca.

4 comentários:

Madonna disse...

É muito mais fácil se esconder dos nossos fantasmas, ao ter que enfrentá-los, mas a vida foi feita mesmo para quem se arrisca!
Parabéns pelo o blog, estou te seguindo. Se quiser dê uma passadinha no meu, será uma honra:

www.umeternorecomeco.blogspot.com

Gislaine Fernandes disse...

Muito bom...
beijos

Gilberto Araujo disse...

estes dias escrevi algo sobre isso no meu blog: "as vezes tudo o que sinto, é que não sou humano... o resto do tempo... me flagro pensando em camuflar minha humanidade..."
E como somos fracos!! mas, só uma metade... a outra, ah, a outra é o que há de mais forte...

tem mais café? :o)

AnaPaula! disse...

lindo, lindo (: ímpar.